Análise Semana 4 (20/02 a 26/02)

A previsão de ENA do ONS para a quarta semana de fevereiro é de 82% da MLT para o Sudeste, 139% para o Sul, 55% para o Nordeste e 63% da MLT para o Norte. Além disso, é esperado que a ENA mensal fique em 85% da MLT no Sudeste, 155% da MLT no Sul, 88% no Nordeste e 73% da MLT no Norte. Estes valores mensais de ENA estão menores do que a previsão no início do mês no Sudeste, Nordeste e Norte, sendo que apenas no Sul a previsão está maior do que anteriormente. As ENAs semanais e mensais são apresentadas no gráfico à esquerda abaixo. O CMO e o PLD da quarta semana de fevereiro e o PLD da terceira semana, de todos os submercados, são apresentados no gráfico à direita.

figura1

O limite de recebimento de energia do Nordeste continua sendo atingido, causando a diferença entre o preço deste submercado e o preço dos demais. Assim, os PLDs do Sudeste, do Sul e do Norte se mantiveram em R$30,25/MWh (valor mínimo do PLD estabelecido em 2016 pela Aneel). No Nordeste o PLD aumentou 77% em relação à semana passada e ficou em R$243,41/MWh.

Impactos no CMO – Semana 4

Nesta semana, apesar da previsão de ENA mensal do Nordeste ter aumentado, as previsões de afluências menores nos submercados Sudeste e Norte, dos quais o Nordeste importa energia, fez com que o preço deste submercado aumentasse cerca de R$52/MWh.

Outro fator que causou impacto significativo no CMO do Nordeste, foi o aumento da disponibilidade hidráulica neste submercado, que fez com que o seu preço reduzisse cerca de R$42/MWh. Além disso, a elevação na carga em todos os submercados causou aumento de cerca de R$65/MWh no Nordeste.

As demais atualizações não causaram impacto significativo no preço.

As figuras apresentadas a seguir mostram os fatores que impactaram o CMO de todos os submercados nesta semana, sendo que valores do Sudeste, Sul e Norte ficaram novamente abaixo do PLD Mínimo.

Fonte: ONS

Fonte: ONS

Meteorologia

A água do Oceano Pacífico apresenta-se mais quente do que o normal, o que caracteriza o fenômeno El Niño, sendo classificado como forte e curto. Contudo, os prognósticos climáticos mostram o resfriamento gradativo e a diminuição da intensidade do El Niño atual até maio de 2016 e uma possível mudança para La Niña em outubro. Observa-se na previsão de precipitação acumulada para a semana de 20 a 26 de fevereiro, que devem ocorrer chuvas bem distribuídas em todo o país. Na região Sudeste deve chover mais forte nas bacias dos rios Paranaíba, Tietê e Paranapanema. A região incremental a Itaipu e as bacias do submercado Sul devem apresentar chuvas moderadas. A bacia do rio Tocantins deve apresentar chuvas fracas bem distribuídas em toda a sua extensão e na bacia do rio São Francisco as chuvas devem se concentrar ao sul, próximo a Três Marias.

figura3

Disponibilidade térmica – Semana 4

Os gráficos apresentados a seguir mostram as disponibilidades térmicas de cada submercado por faixa de Custo Variável unitário (CVu) para esta semana. No SIN, a disponibilidade térmica por ordem de mérito (usinas com CVu até o CMO de cada submercado) é de 3049 MW, fora da ordem de mérito (usinas com CVu maior que o CMO e menor do que R$600/MWh) de 11074 MW e usinas com CVu acima de 600 R$/MWh (que não estão despachadas) de 2105 MW, totalizando 16228 MW de disponibilidade para a quarta semana de fevereiro.

Fonte: CCEE

Fonte: CCEE

Estimativa de Encargos de Serviços do Sistema (ESS)

Algumas usinas estão despachadas por modalidades de Segurança Energética e Restrições Operativas,

cujo ressarcimento se dá via Encargos de Serviço do Sistema (ESS). Além disso, quando o CMO é maior do que o PLD em algum submercado, há o custo devido ao descolamento do CMO e PLD. Nos gráficos abaixo, são apresentadas as estimativas desses encargos para cada semana de fevereiro.

figura5

Fonte: CCEE

A estimativa de ESS para fevereiro é de R$733 milhões de reais. Além disso, a expectativas de custos devido ao descolamento entre o CMO e o PLD é de R$1,99 milhão de reais.

Mais notícias sobre Energia Renovável